Tipos de depressão: entenda mais sobre a doença!

U+2190.svg Clique no botão ao lado para ouvir todo o texto!

A depressão é considerada uma das grandes doenças do século. Porém, mesmo sendo tão prejudicial, muita gente ainda tem dúvidas sobre os efeitos e os sintomas da doença. Os tipos de depressão também seguem sendo um mistério para muita gente.

Nos últimos 10 anos, segundo o relatório global da Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos da doença aumentaram cerca de 18%, chegando a um índice alarmante, que ultrapassa os 320 milhões de casos identificados.

Aqui no Brasil, estima-se que cerca de 5% da população sofra com depressão, o que representa a maior taxa da América Latina. Porém, a doença pode ter diferentes categorizações.

Em alguns casos, os sintomas são considerados leves, mas também existem aqueles que se apresentam de forma moderada e, por fim, os casos graves. Essa classificação varia de acordo com a intensidade dos sintomas.

Alguns indícios da doença podem ser caracterizados por: alterações de apetite, ansiedade, dores crônicas, mudanças repentinas de peso e sono, agitação, perda de energia, lentificação motora, entre outros.

Vale lembrar que a doença só pode ser diagnosticada precisamente por um psicólogo, por isso, visitar um especialista é fundamental.

Conheça alguns dos tipos de depressão

Sempre que os sintomas supracitados ultrapassarem duas semanas contínuas de reincidência, vale a pena consultar um médico. Normalmente, os especialistas irão considerar toda a história de vida do paciente e, apenas depois disso, firmar um diagnóstico.

No entanto, mesmo parecendo ser uma doença composta por um único quadro, na verdade, existem alguns tipos diferentes da doença, que podem ter características específicas, interferindo diretamente na gravidade da doença. Vejamos:

Depressão bipolar

A depressão bipolar pode ser caracterizada, de maneira geral, como uma das fases do transtorno bipolar. O transtorno bipolar se caracteriza, justamente, por causar alterações de humor incomuns.

É nesse processo que acontece a alternância entre momentos de extrema euforia com momentos de depressão profunda. Esse é um tipo de depressão que pouca gente reconhece, pois ela vem e vai muito rápido, mas deixa marcas profundas.

Depressão pós-parto

Esse é um dos tipos de depressão mais comentados, principalmente porque, de forma geral, ele acaba envolvendo toda a família. Os sintomas da depressão pós parto podem aparecer nas primeiras semanas depois do parto ou ainda durante a gestação.

Normalmente, a doença interfere nas atividades diárias da mãe, a impedindo de executar tarefas cotidianas, tirando a disposição, produzindo um sentimento de extrema tristeza, ansiedade e exaustão.

É comum que as mamães sintam certa ansiedade após o nascimento do filho, no entanto, para que seja considerada natural, essa sensação de ansiedade deve desaparecer no decorrer das duas primeiras semanas.

Transtorno afetivo sazonal

Esse tipo de depressão costuma aparecer e se intensificar durante os meses de inverno.  Nesses dias, há menos luz solar natural, principalmente em países em que o dia é mais curto e a exposição à luz do sol dura menos tempo.

Pode ser que esse tipo de depressão se repita todos os anos, em todos os invernos. Em outros casos, a doença aparece em datas comemorativas específicas, como no Natal, Ano Novo ou aniversários.

Nesse último caso, a doença é menos caracterizada pelo fator sazonal e mais pelo fator afetivo. Lembranças do passado, desejos para o futuro ou frustraçẽos pessoais nessas datas podem ser consideradas gatilhos.

Depressão crônica (Transtorno Depressivo Persistente)

Esse tipo de depressão, como o nome sugere, é uma forma persistente da doença. Normalmente, ela possui duração mínima de dois anos e  possui uma intensidade moderada, que muitas vezes é omitida na rotina.

Basicamente, a depressão crônica conduz o indivíduo a uma tristeza moderada porém constante, além disso, ele fica predominantemente pessimista, sem ânimo, com pouca energia, pouca concentração e sem nenhuma vontade de agir.

Uma pessoa já diagnosticada com depressão crônica precisa estar em tratamento constante, para evitar episódios mais intensos. É possível vencer a depressão com os tratamentos adequados, apoio, paciência e persistência.

O uso de suplementos no combate à depressão

Sabemos que os fatores que conduzem à depressão são muito variados. No entanto, a suplementação correta pode diminuir os riscos da doença ou até combater sua incidência no corpo humano, e aqui na NutriGenes temos vários suplementos e vitaminas com esse potencial.

O Magnésio Dimalato é um dos antidepressivos naturais que possuem a capacidade de combater a depressão, pois atua contra a ansiedade, a fadiga e o estresse. Fatores que podem influenciar fortemente no desenvolvimento da doença.

Outro composto interessante, que pode ajudar a lutar contra a doença de forma natural é o Ômega 3. Na prática, ele age na produção de neurotransmissores, como a serotonina, a dopamina e a noradrenalina. Aumentando a sensação de bem estar.

Vale a pena ressaltar, mais uma vez, que a depressão é uma doença que deve ser tratada com o auxílio de profissionais especializados na área. Todos os suplementos da NutriGenes possuem funções benéficas ao organismo, no entanto, ter acompanhamento médico é essencial.

Para conhecer mais sobre a qualidade e a procedência dos nossos produtos, basta acessar a nossa loja online. Até o próximo post!

Assine nossa newsletter para receber dicas, informações, vídeos e entrevistas diretamente em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *