Entenda por que a quinoa é um ‘super grão’

O nome é curto, tem apenas seis letras, mas os benefícios são pra lá de extensos. Essa é a quinoa, considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o melhor alimento de origem vegetal do planeta, comparada inclusive ao leite materno. Com status de “super grão”, ela tem atributos capazes de ajudar a blindar o organismo de uma série de doenças e ser grande aliada na busca pela qualidade de vida.

Os resultados não são alcançados por acaso. Afinal, ela é rica em proteínas, vitaminas do complexo B, fibras, magnésio, e fitonutrientes. Além disso, concentra fósforo, manganês, selênio, ferro, potássio, cobre, zinco e cálcio. Se não bastasse, o grão apresenta baixo teor de colesterol e concentra ômega 3 e 6.

Com tantas propriedades benéficas reunidas, estudos mostram que quando consumido diariamente, esse grão colabora para o fortalecimento muscular e imunológico. É aliado, ainda, segundo especialistas, para o pleno funcionamento do sistema nervoso. Outra característica é sua eficiência na prevenção de problemas cardiovasculares como aterosclerose, arritmias e hipertensão, por exemplo, e colaborar para o controle do diabetes, colesterol e triglicerídeos.

Ferro e lisina!

Outro ponto positivo da quinoa é que ela é importante fonte de ferro (mais até que o feijão), um mineral que combate a anemia e abastece a hemoglobina, proteína do sangue que transporta o oxigênio pelo corpo. Pensa que acabou? Longe disso!

A lisina, que consta no grão, auxilia na reparação e crescimento dos tecidos, enquanto o alto teor de magnésio cuida da saúde dos vasos sanguíneos, ajuda a regular a temperatura corporal, oferece energia de sobra, e é aliado para a boa formação de dentes e dos ossos.

Já para os celíacos, a boa, ou melhor, a ótima notícia é que a quinoa não contém glúten.

Um alimento recheado de propriedades importantes para obtenção de um estilo de vida saudável. Esta é a quinoa, o “super grão” ideal para os que não abrem mão de uma “super saúde”.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *