Omega 3 NutriGenes

Ômega 3 aliado do Cérebro e do Coração

Os ácidos graxos (gorduras boas) devem estar presentes na nossa alimentação. Quando ingeridos formam camadas lipídicas em torno das células, ajudando-as a funcionar melhor.  Peixes de água fria e profunda, como o salão, são fonte de Ômega 3, um ácido graxo essencial que não pode ser produzido pelo organismo. Rico em EPA e DHA ele deve ser obtido por meio da inclusão no cardápio de peixes, animais marinhos ou suplementação nutricional.

O que é o tal ácido graxo?

acidos graxos

Ácido graxo é basicamente um tipo de lipídio (gordura) constituído de cadeias longas de carbono com um grupamento carboxila em uma de suas extremidades. De forma mais sucinta, eles são utilizados como combustível para as células. Assim,constituem uma das principais fontes de energia do organismo.

O ácido graxo Ômega 3 é um tipo de gordura saudável e essencial, ou seja, extremamente importante para a manutenção da saúde. Entretanto, o organismo não é capaz de produzir em quantidades adequadas, sendo necessário o consumo por meio da suplementação.

Mas por que o Ômega 3 é tão importante?

Bom, principalmente porque ele é composto por dois tipos de gorduras poli-insaturadas. Vale lembrar que que cadeias poli-insaturadas são caracterizadas pela presença de duplas ligações entre carbonos, ok?. São elas: EPA e DHA.

Um pouco mais sobre o EPA e o DHA

EPA E DHA OMEGA 3

O EPA (ácido eicosapentaenóico) ajuda a produzir no organismo substâncias anti-inflamatórias – as prostaglandinas. Por isso, estudos apontam benefícios para a saúde cardiovascular e circulatória, contribuindo para evitar a formação de coágulos que podem causar derrames cerebrais e tromboses.

Além disso, a falta de cuidados com a saúde do coração reflete nas estatísticas. Só no Brasil, são 350 mil mortes por causa de doenças cardiovasculares por ano. Para se ter uma ideia do “tamanho” do problema, isso é equivalente a uma vida perdida a cada 40 segundos. O índice de mortalidade é duas vezes maior que as mortes em decorrência de todos os tipos de câncer.

Já o DHA (ácido docosahexaenóico) colabora para a saúde cerebral. Faz bem para a memória e outras funções cognitivas como a comunicação entre os neurônios. Ele tem ação antioxidante e ajuda também no desenvolvimento do feto.

O DHA presente no é um ácido flexível. Ele fica nas membranas celulares, permitindo que as células nervosas enviem e também recebam sinais elétricos. Os benefícios disso? Melhora na memória e na capacidade de aprendizado.

A falta de DHA confere prejuízos à saúde. Entre os problemas estão, por exemplo, alterações nas funções do cérebro e a deficiência visual. A suplementação auxilia no combate às inflamações.

Alguns benefícios da suplementação com Ômega 3

  • Ajuda a manter o cérebro e o coração saudáveis;
  • Contribui para evitar a formação de placas nas artérias;
  • Colabora na diminuição do colesterol ruim (LDL), triglicerídeos e no aumento do colesterol bom (HDL);
  • Favorece a prevenção de doenças cardiovasculares;
  • Tem propriedades anti-inflamatórias e age na melhoria do fluxo sanguíneo e na proteção das células.

Além disso, de acordo com algumas pesquisas e estudos, o DHA presente no Ômega 3 auxilia na prevenção de doenças cerebrais degenerativas como Parkinson e Alzheimer.

Qual o Ômega 3 ideal?

Em primeiro lugar, deve-se prestar bastante atenção à procedência do suplemento Ômega 3 a ser ingerido. Verifique a origem, marca, com qual tipo de substância é feita, para se ter a certeza de que está ingerindo nutriente de qualidade. Hoje, infelizmente há no mercado muito produto oxidado, retirado de peixes contaminados por metais pesados, processados de maneira inadequada, etc.

Ômega 3 congela?

omega 3

Todavia, não é de hoje que testes caseiros prometem comprovar se um produto tem qualidade ou não. De uns tempos para cá, foi a vez do Ômega 3 entrar na mira desses “experimentos” que muitas vezes são pouco científicos. Na internet, vídeos e textos publicados em blogs e sites afirmam que “se o Ômega 3 for 100% puro, ele não congela”.

Mário dos Anjos Neto Filho é mestre e doutor em Farmacologia. Ele se formou pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP). O especialista explica que todas as substâncias químicas, sejam elas naturais ou artificiais, apresentam um ponto de fusão (passagem do estado sólido para o líquido). Elas têm também um ponto de ebulição (do estado líquido para o gasoso).

Com Ômega 3, não é diferente, na prática, quando o óleo presente na cápsula é exposto a uma temperatura abaixo dos -11ºC, ele irá congelar com o passar do tempo, mesmo que seja puríssimo!

Além disso, também é preciso diferenciar o freezer do congelador doméstico. E a razão é simples. Eles apresentam capacidades de refrigeração bem diferentes. O congelador chega a uma temperatura que fica, em média, em -6ºC. Já o freezer é muito mais potente, chegando a temperaturas na casa dos -20°C.

Dessa maneira, a mesma cápsula de Ômega 3 puro que permanecerá líquida se depositada no congelador, irá congelar se for colocada no freezer.

O Ômega 3 impede o salmão de ser congelado nas águas frias?

Além do Ômega 3, existem outros elementos que colaboram para que o salmão não seja congelado em águas frias.

Assim, é comum ouvirmos que o Ômega 3 impede o salmão de ser congelado nas águas frias e profundas dos polos. É preciso esclarecer que, apesar das temperaturas chegarem a -65°C nas geleiras, nos mares ela geralmente fica em torno de -1,9ºC.

Os ácidos graxos poli-insaturados, a exemplo do Ômega 3, fazem parte dos recursos adotados pela natureza para que esses peixes não congelem. Afinal de contas, o Ômega 3 “resiste” na forma líquida até aproximadamente -11ºC, enquanto as gorduras (ácidos graxos saturados) podem ser sólidas já aos 20ºC.

Entretanto, é necessário frisar que o Ômega 3 é somente um dos elementos que ajudam a evitar que os peixes polares congelem. Essas espécies contam ainda, por exemplo, com proteínas anticongelantes presentes em seus fluidos corporais. Trata-se de um recurso disponível em muitos outros animais, como aranhas e insetos, que suportam temperaturas abaixo de -15ºC.

Em razão dessas explicações, não restam dúvidas. Observar se o Ômega 3 congela não é um teste de pureza eficaz. Somente um Ômega 3 100% puro é capaz de garantir os melhores resultados para a saúde e qualidade de vida. Mas, para atestar a qualidade deste produto não há fórmula mágica. Existem testes laboratoriais específicos. Eles seguem rigorosos processos científicos.

Como saber se o Ômega 3 é puro?

Ômega 3 Concentrado

Dessa forma, para saber se o Ômega 3 que você está consumindo é puro, a alternativa mais segura é solicitar o laudo de pureza do produto.

Acima de tudo, a pureza do Ômega 3 Salmão da NutriGenes, é comprovada. É o que aponta a Universidade Estadual de Maringá (UEM), por meio do Departamento de Química. Tratam-se de vários testes em amostras diferentes que comprovam a autenticidade do produto.

Assine nossa newsletter para receber dicas, informações, vídeos e entrevistas diretamente em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *