Cuide do Cérebro

Ômega 3 potencializa a atenção e equilibra a hiperatividade

Nosso cérebro é composto por 60% de gordura e precisa ser nutrido para funcionar de forma perfeita. O Ômega 3 é um fonte rica e segura de ácidos graxos 

 

Quem elege hábitos saudáveis como estilo de vida sabe que o organismo precisa de componentes alimentares para funcionar bem. Um deles é o Ômega 3, um ácido graxo extraído de peixes de águas frias e profundas dos mares.

Entre muitos outros benefícios, o Ômega 3 (ácidos graxos) atua de forma eficiente no tratamento de  o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Embora o diagnóstico seja mais direcionado às crianças em idade escolar, atinge pessoas de todas as idades.

No Brasil e no mundo, a Ritalina, estimulante à base de cloridrato de metilfenidato, é o medicamento mais usado para tratar o problema, embora a medicação não seja bem aceita por todos os pacientes porque produz sérios efeitos colaterais, além de intolerância. Por ser uma fonte segura de ácidos graxos, o Ômega melhora não apenas a função cerebral e o desenvolvimento neurológico.

 

O consumo de ácidos graxos Ômega 3 também está relacionado a  redução de 10% do risco de morte por ataque cardíaco, conforme estudo publicado nos Estados Unidos, na revista médica “JAMA Internal Medicine“. Para chegar a essa conclusão, os estudiosos analisaram os níveis de ômega 3 no sangue e nos tecidos de participantes de 19 estudos realizados em 16 países. Em um outro estudo, os pesquisadores identificaram que as pessoas com TDAH apresentavam menos quantidade de Ômega 3

Só podemos obter Ômega-3 por meio de uma alimentação rica em peixes como sardinha salmão, arengue, semente de linhaça, entre outros alimentos. Porém, por falta de hábito, de fácil acesso ou até mesmo por procedência duvidosa, não há como garantir a quantidade adequada de ácidos graxos, o que torna a suplementação a alternativa mais segura e acessível e de fácil consumo.

O cérebro é o centro de controle do movimento, do sono, da fome, da sede e de quase todas as atividades vitais necessárias à sobrevivência. Todas as emoções, como o amor, o ódio, o medo, a ira, a alegria e a tristeza, também são controladas pelo cérebro. Ele está encarregado ainda de receber e interpretar os inúmeros sinais enviados pelo organismo e pelo exterior.

 

Autor: Prof. Dr. Mário Neto, Farmacêutico e Bioquímico pela FCFRP-USP, habilitado em Análises Clínicas, Toxicológicas e Bromatológicas; Mestre e Doutor em Farmacologia pela FMRP-USP. 

Assine nossa newsletter para receber dicas, informações, vídeos e entrevistas diretamente em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *