Como o sistema imunológico funciona?

Grande responsável por manter o bom funcionamento do nosso corpo, o sistema imunológico realiza processos complexos e de essencial importância, uma vez que ele é um escudo de proteção contra doenças. Por isso, compreender como ele funciona é tão importante!

Por falar nisso, você entende as atividades do sistema imunológico? Pensando nessa questão, a Nutrigenes elaborou um conteúdo completo para tirar as suas dúvidas sobre o que integra e faz funcionar o nosso sistema imunológico! Além disso, compreenda a estrutura desse sistema e como reforçá-lo!

Como funciona o sistema imunológico?

Conhecido também como sistema imune, o sistema imunológico é o responsável por dar garantia de um bom funcionamento ao corpo humano, uma vez que evita a atuação de patógenos – organismos que ocasionam doenças – em nosso corpo.

Além disso, ele é o responsável por garantir um relacionamento de harmonia entre as células e os órgãos do nosso corpo. Denomina-se como imunidade a competência que nosso organismo tem de se recuperar de certas patologias.

Contudo, para ser possível compreender como a imunidade é estruturada, precisamos – primeiro – saber que existem dois tipos: a imunidade inata e a adquirida! Imunidade inata é aquela com que nós nascemos, tendo uma geração natural, sem auxílio externo. Em contrapartida, a imunidade adquirida, como o próprio nome revela, o sujeito desenvolve durante a vida!

Compõem o sistema imune dos tecidos do nosso corpo os órgãos, as células e as moléculas. Além disso, ele pode ser dividido com base em estruturas individuais formadas pelo baço e linfonodos, além de células livres: os linfócitos.

Basicamente, o sistema imunológico reconhece a presença de células e substâncias anormais, combatendo-as e eliminando-as, com base no bom funcionamento desses componentes constituintes! Além disso, ele é capaz de distinguir quais células são do nosso corpo e quais não são.

Conseguiu compreender? Essas informações são muito importantes quando queremos entender como funciona o sistema imunológico, no entanto, há algumas terminologias próprias da área que, quando ouvidas por nós, causam um certo estranhamento. Por isso, a Nutrigenes elaborou um glossário dos termos mais evidentes e importantes sobre esse assunto!

Sistema imunológico: glossário!

Por mais que a gente entenda como o sistema imunológico funciona, algumas palavras ainda nos são confusas e é necessário que a gente as compreenda bem, para finalmente ser possível compreender o conteúdo de maneira global. Pensando nisso, foi elaborado um glossário de termos essenciais na terminologia do sistema imune! Venha conhecer!

Leucócitos

Ao pensar em sistema imune, os leucócitos são aqueles que merecem um destaque especial, tendo em vista que são eles os responsáveis pelas principais ações de defesa em nosso organismo. Produzidos pela medula óssea, os leucócitos – também chamados de glóbulos brancos – viajam pelo nosso sangue fazendo a função de proteção.

Além disso, são subdivididos em dois grupos: os granulócitos e os agranulócitos. Eles ainda subdividem-se: para os granulócitos, em neutrófilos, eosinófilos e basófilos. Já os agranulócitos contemplam linfócitos e monócitos.

Neutrófilos e Monócitos

Os neutrófilos e monócitos são responsáveis pelo processo de fagocitose. Esse processo configura o uso de membranas plasmáticas que, quando referida ao sistema imunológico, trabalha na remoção de patógenos, bem como na eliminação de células velhas.

Eosinófilos

Ao contrário dos neutrófilos, os eosinófilos têm função essencial em situações que envolvem processos inflamatórios e alérgicos. Por isso, ele é extremamente importante, uma vez que combate essas patologias.

Basófilos

Os basófilos são os grandes responsáveis por liberarem heparina – substância que configura um procedimento anticoagulante – muito importante no tratamento de doenças vasculares, com distúrbios de coagulação.

Anticorpos

Também conhecidas como imunoglobulinas, os anticorpos são responsáveis por desempenhar o papel de ligarem-se aos antígenos para desencadear processos de neutralização – processo que impede a destruição ou infecção das células – e opsonização – reconhece os macrófagos ou neutrófilos que farão a fagocitose.

Órgãos linfóides

São órgãos responsáveis por produzir linfócitos em lugares que não há linfóides. Eles são a medula óssea, timo, baço, linfonodo, nódulos linfáticos isolados, tonsilas e apêndice. Eles são os grandes responsáveis pela produção de anticorpos.

Memória imunológica

A memória imunológica é um fator muito importante em nos manter saudáveis por mais tempo, isso pois é a defesa do organismo em longo prazo. Assim, toda vez que somos expostos a um patógeno, há o desencadeamento de uma resposta e, com base nela, serão criadas células de memória que podem nos ajudar durante anos.

Interessante, não é mesmo? Mas como nós conseguimos promover atitudes que reforcem nosso sistema imunológico? No próximo tópico a Nutrigenes te explica ações muito importantes para aqueles que sejam tornar o sistema imune ainda mais eficiente!

Saiba mais: Gostando do nosso conteúdo? Confira também nosso texto sobre Receitas para aumentar a imunidade: 4 combinações de saúde!

Como reforçar o sistema imunológico?

O primeiro passo para reforçar o sistema imunológico é investir em uma alimentação rica em vitaminas e outros nutrientes importantes. Esses elementos são essenciais, por exemplo, na produção de células de defesa. Por isso, elencamos 7 componentes que vale a pena investir quando queremos reforçar nossas defesas.

  • Ômega-3: o ômega 3 é responsável por manter as nossas células mais saudáveis, assim como nosso sistema nervoso.
    • Alimentos ricos em ômega 3: sardinha, atum, sementes de chia, nozes e linhaça;
  • Selênio: o selênio atua prevenindo doenças como o câncer, além de ter muito poder antioxidante.
    • Alimentos ricos em selênio: castanha do pará, trigo, arroz, gema de ovo, frango, repolho e farinha de trigo;
  • Zinco: o zinco atua intervindo na maneira como o sistema imune sintetiza as proteínas, o que ajuda em um bom funcionamento do sistema imune.
    • Alimentos ricos em zinco: carne de vaca, frango, peru e peixe, fígado, grãos integrais;
  • Vitamina C: a vitamina c é ótima para o fortalecimento do sistema imunológico, porém também atua evitando problemas de circulação;
    • Alimentos ricos em vitamina C: laranja, tangerina, abacaxi, limão, brócolis, tomate, melancia;
  • Vitamina E: possui propriedades anti-inflamatórias antioxidantes, o que ajuda a prevenir doenças como a aterosclerose e o Alzheimer.
    • Alimentos ricos em vitamina E: sementes de girassol, avelã, amendoim, amêndoas, azeite de oliva, molho de tomate e mamão;
  • Vitamina A: a vitamina A é ótima em propriedades antioxidantes, combate a anemia e úlceras na pele, além de ajudar no sistema imunológico.
    • Alimentos ricos em vitamina A: cenoura, espinafre, melão, acelga, brócolis, alface e ovo;
  • Probióticos: são bactérias alojadas no intestino que ajudam na digestão e na absorção de nutrientes. Elas também reforçam o sistema imunológico.
    • Alimentos ricos em probióticos: iogurte natural, leite fermentado tipo kefir ou Yakult.

É importante compreender como o nosso corpo funciona! Por isso, a Nutrigenes sempre se preocupa em trazer conteúdos informativos e com muita propriedade no assunto – afinal, a nossa responsabilidade é sempre passar dados embasados na veracidade!

Quer ler mais sobre o assunto? Continue conosco em nosso blog! Lá nós temos muito mais informações sobre diversos aspectos da saúde humana! Aproveite e confira nosso post sobre suplementos de vitaminas e minerais: o que são e quando tomá-los.

Assine nossa newsletter para receber dicas, informações, vídeos e entrevistas diretamente em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *