Ômega 3, cérebro e pesquisas científicas

São inegáveis os benefícios do ômega 3 para a nossa saúde. Suas propriedades cientificamente comprovadas, fazem bem à saúde cardiovascular e cerebral.

E tem efeitos positivos na visão também. Pesquisadores da Universidade Tufts, em Boston, nos Estados Unidos, confirmaram que pessoas consumidoras do ômega 3 apresentaram menores probabilidades de desenvolver a degeneração macular. E, quando a mesma já está manifesta, ele refreia o avanço da doença. O ômega 3 ajuda a recobrir a retina – cuja função é fazer com que os estímulos luminosos se transformem em estímulos elétricos, permitindo que enxerguemos.

Cientistas do Laboratório de Neurologia Experimental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizaram testes e concluíram também que esse ácido graxo ajuda a regenerar neurônios. O ômega 3 contribui na produção de proteínas que atuam na entrada do cálcio no neurônio. Excesso desse mineral pode ocasionar a morte de neurônios.

Pesquisa realizada na Northumbria University, do Reino Unido, comprovaram que ele auxilia na melhoria da circulação cerebral, diminuindo as probabilidades de demência ao envelhecer. Doenças como Alzheimer, ansiedade, insônia e o cansaço mental são igualmente prevenidos ou seus efeitos paralisados mediante a ingestão via alimentação ou suplementação com ômega 3.

Por atuar na formação da bainha de mielina e na comunicação entre os neurônios, esse ácido graxo contribui para a cognição, memória, raciocínio e demais atividades cerebrais. Pessoas com depressão também são beneficiadas, pois o ômega 3 está associado à produção de neurotransmissores como serotonina, dopamina e noradrenalina.
———————————-
Fernando Beteti
Jornalista Especializado em Saúde

Produtos Relacionados:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *